Páginas

2010-04-07

Enjoy the silence

I

Talvez tenham sido os teus olhos.

Ele disse, e aquela foi a última coisa. Ela gostaria de ter entendido, mas para entender teria que lembrar, e para lembrar teria que amá-lo, e já não amava mais. E aquele instante passou, leve como uma pena que cai na água e não faz ondas, leve como os sorrisos não trocados e as palavras não ditas, leve como as coisas que já não existem mais. Naquele instante, ela o amou, amou muito, mais do que tudo, mais do que a si mesma, mas o momento já havia passado e ela chorou, porque não poderia mais entender.

Talvez tenham sido, sim, os teus olhos. Ele gostaria de ter podido dizer até o fim, pois sabia que ela não iria lembrar. Porque eram eles que viam, que choravam, que sorriam. Apaixonei-me pelos teus olhos antes de tudo, antes de apaixonar-me pelas tuas mãos, pelos teus sorrisos raros, pelos teus suspiros no meu ombro. Mas ele não pôde dizer, e ela não pôde lembrar. O instante, que lhes era a vida inteira, acabou.

3 comentários:

Fer disse...

moony gerando sentimentos depressivos, quem curte
cara, erm, bonito e porra, hahahah bonito, só.
amo vc =D

Jey disse...

COISA MAIS LINDA DA VIDA.
gente que lindo, mesmo. e enquanto lia esse texto só conseguia pensar em your heart is an empty room do DCFC.

phi disse...

De uma forma ou de outra, sem saberes, acabaste de escrever parte do que sou. De uma forma muito mais bonita do que o é na realidade, ainda assim.