Páginas

2010-02-01

Duas passagens só de ida para Londres, por favor

Eu poderia ser chata e resumir meu mês de férias com uma única palavra: calor. Poderia dizer que tive que faltar meu primeiro dia de aula porque mal conseguia ficar de pé hoje e nem sei se vou amanhã. E também que esse tempo todo não foi o suficiente para fazer tudo o que eu queria. 

Mas, vamos lá, eu realmente esperava que fosse? Não, né.

Acho que nunca precisei tanto de férias quanto no semestre passado. E então eu tive. Posso ter deixado o violão encher de poeira e nem ter encostado nele, mas pelo menos assisti muita coisa. Posso não ter assistido Eraserhead (DESCULPA, Lucas, eu juro que assisto um dia), mas terminei de ler Lolita e comecei Alice in Wonderland. Posso ter desenhado mal e muito pouco, mas escrevi pra caramba.

E, então, tudo bem. Sinto falta de reclamar dos laboratórios do CEFET IFET mesmo. E de me empolgar muito com as matérias novas pra quatro meses depois querer morrer por causa delas. E de entrar na locadora só pra ver quantos filmes bons que não assistimos ainda existem no mundo. E de ir na livraria pra ficar babando em Ulysses. E de rir de toda e qualquer besteira. E de procurar salas vazias. E de fazer piadinhas infames na hora do intervalo. Adoro isso. ♥

2 comentários:

Fernanda Adler disse...

cara, valeu que traduziu meus sentimentos sobre a vida academica.
eu sinto falta, mas nem quero hahahaha

Igor Motta disse...

Talvez de tudo o que você disse o menos importante foi o calor. Acho q todos nos sentimos meio assim, eu tive 3 meses, praticamente de férias e tenho a mesma sensação que você.

como elas passam voando e como nunca dá pra fazer metade das coisas nelas.

bjs! (i'm follow u)