Páginas

2010-02-07

Dos nossos planos é que tenho mais saudade

Quando olhávamos juntos na mesma direção

Eu estou tentando encarar isso de uma forma madura e positiva, juro que estou. E acho que estou até conseguindo, veja só. Ainda não chorei litros e nem me desesperei, como costumo fazer. Acho que estou agindo da mesma forma que agi naquela época em que eu ia sair do colégio pra entrar no CEFET, lembra? Eu deixei o desespero pro final, quando fosse realmente necessário.

Mas, claro, eu não posso deixar de lembrar de todos esses anos, e de como a gente fala como se fossem muitos mesmo. Quatro carnavais, é assim que eu conto, e é assim que você provavelmente também conta, porque ficamos amigos exatamente no carnaval. Eu lembro que você tava de preto, e acho que foi a única vez que te vi de preto (mas minha memória é horrível, então é capaz de você me dizer que na verdade estava de verde naquele dia, e lá se vai a minha credibilidade).

A gente conversava por horas e horas, em qualquer lugar que estivesse. Fosse naquela espécie de palco que tinha no pátio do colégio, fosse na aula de Química II, a gente conversava. Era quase sempre sobre o mesmo assunto, lembra? Claro que lembra. 

Então, claro, eu não posso deixar de lembrar dessas coisas. De quando eu tinha catorze e você quinze (que velho, hein), e ficávamos planejando onde e como seria o nosso apartamento, porque, claro, nós iríamos morar juntos.

Mas, vamos lá, algum tempo já passou e, como você mesmo disse, fizemos o que queríamos fazer. Talvez não exatamente como imaginávamos, mas fizemos. Eu deveria estar feliz com isso e, bom, eu acho que estou. Não saltitantemente feliz, mas feliz. Não é pra parecer super compreensiva sem realmente ser, nem nada do tipo, mas eu realmente, profundamente, sinceramente, fico feliz por ti, porque é isso que tu sempre quis fazer e tu merece. Tu sonhou e se esforçou.

Então, claro, eu vou ficar triste e vou chorar quando te imaginar dentro de um ônibus/carro/whatever, indo pra longe de mim (e esse sempre foi um dos meus maiores medos, tu ir embora de vez), e vou imaginar milhões de coisas. Vou imaginar que tu vai me esquecer, que nossas cartas se tornarão cada vez mais espaçadas e impessoais com o tempo, que você nunca vai entrar no msn e que vai fazer outros amigos. Vou imaginar que você vai morar com alguém (eu sei que não vai, mas eu vou imaginar) e que eu não vou fazer falta. Vou imaginar que você nunca mais vai voltar pra Fortaleza (eu sei que você vai voltar, mas eu vou imaginar o contrário). Eu sei que vou fazer tudo isso porque eu acho que gosto de sofrer, mas deixa pra lá.

E eu tô fazendo o maior drama agora, mas é só pra te dizer que eu realmente quero que tudo dê certo, porque tu merece que dê certo. Só pra te dizer que eu me importo, que eu vou te catar lá no fim do mundo se tu sumir, e que isso é uma ameaça. Só pra te dizer que você é o "senhor dos meus segredos", lembra disso?

Agora já chega, porque eu vou chorar e ainda não tá na hora. Me manda teu endereço quando chegar lá.

 

4 comentários:

Fernanda Adler disse...

dels, moony, te dou um abraço, um carinho, ghata
cara, sério, teu post tá mil vezes mais viadinho que o meu.

Igor Motta disse...

Fica assim não Muni...

Sempre que termina um ciclo é pq outro começa!

bjão gata!

Larissa disse...

Nossa, como é difícil. Como é difícil permitir alguem tão importante, tão especial partir. E ainda tentar estar feliz por ela...
Não sei se conseguiria, você parece ser mais forte.

Mas as coisas serão como deverão ser. Linda a música do título!

fica bem!
;**

P.S siiim, tem John Mayer até doer! Tu sabes quando uma música te faz esquecer de todos os problemas e tudo o que você quer esquecer?! E te faz dormir plena... é o que ele faz em mim. Conheci há pouco e já me apaixonei :)

;**

' Rôh disse...

Puxa, você realmente consegue me emocionar *.*
Principalmente porque eu sei que não é assim tão fácil pra você essas demonstrações públicas de afeto, mas eu fico feliz que você tenha feito isso por mim, por você, por nós.
Adoro a forma como voce escreve (oh novidade), adoro sua forma de se expressar, de dizer exatamente aquilo que eu preciso e anseio por ler.
Vai pensando que vai se livrar de mim, rum!
Pq eu tbm...
"vou te catar lá no fim do mundo se tu sumir" ]2

Roh